Cibereal, Lda. - Vender Casa, Comprar ou Arrendar com Serviços Imobiliários Profissionais


Zona oriental de Lisboa em reabilitação

Cem milhões de euros para reabilitação
    

Com o objectivo de dinamizar a zona oriental da cidade, em especial  na  Madre de Deus e Xabregas-Grilo vai ser dado inicio até ao final do ano a um processo de intervenção urbana. Envolvendo quatro freguesias (Beato, Marvila, São João e Olivais) com  dez zonas históricas, prevêem-se duas dezenas de intervenções para um investimento global de mais de cem milhões de euros. Pretende-se que em dez anos se encontre uma zona repovoada, requalificada no ambiente e economicamente activa.
O projecto a apresentar à Câmara Municipal de Lisboa pela Sociedade de Reabilitação Urbana Oriental (SRU) até Setembro, espera-se que tenha início até Dezembro. Distribui-se por tipos de intervenção diferentes na habitação, reabilitação de fogos e construção nova, aproveitamento do edificado para a construção de serviços (equipamentos de apoio social a idosos e crianças, lares, escolas, actividades de tempos livres) e espaços públicos a concluir até 2010, abarcando 20 intervenções programadas para as dez zonas históricas.

Segundo Teresa Goulão, presidente do conselho de administração da SRU, esta intervenção por se centrar numa zona onde há muita edificação degradada, com enorme carência de serviços e  espaços públicos, com graves situações de exclusão social, prevê um investimento de cinco milhões de euros para cada um dos programa a efectuar.Pretende a SRU o envolvimento de privados na sustentação financeira de grande parte do investimento previsto, que têm vindo já a apoiar o projecto de requalificação até agora. Teresa Goulão gostaria de ver estas intervenções concretizadas pelos proprietários e particulares, já que a SRU está limitada a competências ao nível do planeamento. Trabalha-se entretanto na negociação e informação de quem tem direitos adquiridos para que todo o projecto seja compartilhado por todos, incluindo os moradores. Este conceito inovador no nosso país, baseia-se na recuperação dos espaços existentes, atribuindo-lhes  novas valências económicas, serviços e espaços públicos enquadrados por mais habitação segundo as mais actuais práticas ambientais, energéticas e de inovação tecnológica, já com resultados relevantes noutros países.

A presidente da SRU afirma que  não se pretende criar na zona oriental mais urbanismo, mas mais urbanidade, tendo em conta os três vectores essenciais que sustentam a filosofia de base. "Repovoamento com população activa, pois sem gente não é possível reabilitar; promover a actividade económica, já que a zona, antes caracterizada por um forte tecido industrial, foi sendo abandonada à medida que as fábricas foram encerradas e o espaço envelheceu economicamente; e requalificar ambientalmente, uma vez que a qualidade de vida nas cidades é um dos problemas emergentes." Na Madre de Deus e Xabregas - Grilo os trabalhos cobrem todas estas vertentes, pois na primeira zona, a habitação já contará com sistemas de poupança de água e de electricidade cobrindo exigências ambientais e energéticas segundo o que melhor se faz nestes sectores.

Esta intervenção prevê ainda a melhoria da acessibilidade e mobilidade da zona. que apesar de ter  boa acessibilidade central, é mais um local de passagem para o centro da cidade e onde agora se objectiva prioridade para a circulação pública e pedonal.
Os passos seguintes terão por incidência Chelas Velho, Rua de Marvila, Rua do Açúcar Norte, Vale Formoso de Baixo, Convento do Beato, Xabregas, Alto São João e Olivais Velho.